Gestão da Rentabilidade: Monitorando custos e gerando resultados

17

Medzo Consultoria Financeira Empresarial / 15/10/2014

A gestão da rentabilidade certamente está associada a questionamentos que englobam a analise dos clientes das empresas. A grande dúvida que envolve os gestores e empresários acerca da rentabilidade são justamente os clientes: Quais deles são mais lucrativos para a empresa? E aqueles que representam perdas financeiras, mesmo comercializando produtos e serviços? Para os clientes que representam resultados negativos, existem maneiras de reverter a situação?

Quando a gestão da rentabilidade acontece de forma eficaz, essas dúvidas são extintas, uma vez que sua premissa é justamente alocar e apropriar receitas e despesas de forma correta. E o primeiro passo é justamente conhecer e categorizar todas as receitas e despesas dentro do ciclo operacional, para que o empresário saiba exatamente quanto representam suas vendas nas receitas da empresa. Sim, porque, existem receitas não operacionais, ou seja, receitas que não provenientes das vendas.

Esse é de longe um grande perigo na analise da rentabilidade. Empréstimos tomados, aporte de sócios e outras receitas que não provem das vendas, pode criar o que se chama de “contabilidade criativa” onde os resultados podem até ser positivos, mas o lucro está “escondido” em receitas que deverão ser devolvidas a terceiros, ou simplesmente, pagas a quem emprestou.

Vendas Produtivas x Vendas Imaginárias

Os termos falam por si: enquanto as vendas produtivas trazem retorno do investimento, as vendas imaginárias são apenas uma forma de iludir o empresário que pensa que o grande volume de vendas pode gerar receitas certeiras. Aqui, o preço de venda e as condições de faturamento são cruciais: Preços de vendas que não consideram os custos aplicados à produção do bem ou serviço, aliados a prazos de pagamento extensos, podem ocasionar um furo no fluxo de caixa. E a partir daí, o giro operacional ficará comprometido.

Além dos fatores de custos envolvidos, preços aplicados e prazos estabelecidos, é preciso conhecer os clientes de maneira mais aprofundada. Cada cliente deve ser analisado de maneira, a saber, se sua participação na empresa é satisfatória. Esse é o primeiro passo para redimensionar clientes, avaliando a possibilidade de reverter resultados negativos e concentrar esforços nos que apresentam bons resultados. Além de definir novas estratégias com a finalidade de apresentar ao mercado melhores produtos e serviços.

 

Post escrito por Juliana Agustineli

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA E OU ELETRÔNICAS
GUERREIRO, Reinaldo. ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS DE CUSTOS PARA GESTÃO DA RENTABILIDADE. São Paulo: Atlas, 2011.

 

Compartilhe nas redes Sociais

Gostaria de mais informações?

ENTRE EM CONTATO

Entre em contato

(11) 98415.0180 (Washington)
medzo@medzo.com.br