Gestão financeira e o planejamento de capital de giro

O planejamento do capital de giro empresarial é sem dúvida o maior desafio da gestão financeira atual. A deficiência na analise dos ciclos operacionais é a principal causa da mortalidade precoce das empresas. O ciclo econômico é a divisão do ciclo operacional que engloba todo o processo produtivo, do planejamento do produto ou serviço até a efetivação da sua venda. É responsável por fazer girar a empresa. O ciclo financeiro, entretanto, realiza os pagamentos e recebimentos gerados pelas operações da empresa. O grande engano dos empreendedores é achar que o aumento das vendas refletirá no caixa da empresa imediatamente.

Com o aumento dos produtos ou serviços vendidos, existirá também um aumento nos custos e despesas para aumentar a produção e que, apenas depois de todo o giro operacional é que a receita irá agregar valor ao caixa.Portanto o crescimento das vendas será acompanhado do crescimento da produção e consequentemente, o aumento das despesas imediatas, uma vez que, para produzir é necessário abastecer-se de estoques que posteriormente tornar-se-ão produtos e serão comercializados gerando receitas.

 

Variações do ciclo financeiro

O ciclo financeiro é o mais relevante para a dinâmica da gestão financeira e do planejamento do capital de giro. Quando falamos em ciclo operacional, estamos calculando o tempo que o investimento do empresário (compra de estoques, por exemplo), retorna ao caixa. A principal falha é exatamente este cálculo. Ciclos operacionais longos comprometem o fluxo da caixa no curto e médio prazo. A média de recebimento deve necessariamente ser menor que a média de pagamento praticada aos fornecedores. Assim, o fluxo de caixa da empresa seguirá sem maiores problemas e a necessidade de capital de giro estará garantida.

Desta maneira, é importante ressaltar que a otimização do ciclo financeiro poderá ser constituída como opções de financiamento para o giro do ciclo operacional, mediante a liberação de recursos. É fundamental a adoção de estratégias de gestão de caixa que promovam a redução dos períodos de estocagem e cobrança, e aumentem os prazos dos pagamentos para aperfeiçoar o ciclo financeiro e com isso, garantir o sucesso da gestão financeira aplicada a analise do capital de giro.

Post escrito por Juliana Agustineli

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA E OU ELETRÔNICAS
ASSAF NETO, Alexandre. ESTRUTURA E ANÁLISE DE BALANÇOS: um enfoque dinâmico. 4 Ed.São Paulo: Atlas,2000.

GITMAN, Lawrence J. PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. 7 Ed. São Paulo: Harbara, 1995.

 

Compartilhe nas redes Sociais

Gostaria de mais informações?

ENTRE EM CONTATO

Entre em contato

(11) 98415.0180 (Washington)
medzo@medzo.com.br